4 Sinais de que Você Escolheu o Produtor Musical Errado

prod2
Escrito por Vinicius Soares

A produção de um trabalho musical precisa ser levada muito a sério. Escolher um profissional para guiar essa etapa e liderar a formação do seu produto (CD, EP ou single) certamente vai te trazer muito mais resultados, afinal, se a música que é sua matéria prima não transmitir a qualidade e o diferencial que o mercado espera, seus esforços posteriores serão em vão.

Falei sobre esse tema, com muito mais profundidade, nesse vídeo:

[VÍDEO] Produtor Musical vale à pena?

Agora, como saber se o produtor musical escolhido vai realmente captar sua essência artística e acrescentar sua experiência no seu trabalho trazendo o resultado esperado? Como saber se esse não é o cara errado, apenas a fim de engordar a conta bancária, vendendo ilusões baseadas no seu currículo?

Existem pelo menos 4 sinais capazes de te avisar que sim, você pode ter embarcado em uma furada ao ter contratado o serviço de produção musical.

1 – Ele força ideias

Bons produtores tem ótimas ideias, afinal, possuem uma bagagem grande e naturalmente externam isso para o artista. Mas, de forma alguma ele pode empurrar sua direção goela abaixo. Produzir um trabalho é ser parte de um projeto, não o “presidente”. Um profissional de produção deve expor suas ideias e argumentar com a parte principal no projeto que é o artista. Precisa haver consenso entre todas as decisões, unidade.

Se por acaso você está encarando um produtor que “bate o martelo” na hora de alterar a sonoridade do seu trabalho, você certamente terá sérios problemas.

2 – Ele não parece estar entusiasmado com sua música

Você não precisa que um produtor seja fã da sua música, mas, no mínimo ele deve sentir prazer em ter você no estúdio. Aqui vai uma história pessoal para ilustrar: Certa vez eu e minha banda contratamos um produtor (conhecido no mercado, por sinal) para produzir um single. Estávamos motivados pois éramos fãs, mas, ele não parecia dar a mínima pra isso.

Quando pedimos pra que tirasse uma mísera foto conosco a fim de registrarmos aquele primeiro momento, ele simplesmente se recusou e pediu que nenhuma imagem dele fosse publicada. Não preciso dizer que apesar do seu grande currículo, a coisa não foi a frente.

A maior parte dos artistas trabalham melhor e rendem mais quando estão em um ambiente familiar, descontraído, onde se percebe que todos os envolvidos estão ali para cooperar com seu sucesso e mostram que farão de tudo pra isso acontecer. A atmosfera dentro de um estúdio responde muito pelo resultado final da gravação. Se isso não acontece, as chances de você declinar na sua performance são gigantes!

3 – Ele não critica absolutamente nada

Se ter um produtor que empurra suas ideias goela a baixo é ruim, ter um profissional “micreiro, piloto de mesa de som” é ainda pior. Quando contratamos o serviço de um produtor musical, pagamos pela inteligência desse cara a fim de organizar ideias e adicionar sua visão de mercado no som que vamos lançar. Não queremos apenas que essa pessoa sente na mesa e faça aquilo que mandamos, pois nesse caso, o cliente (que somos nós) nem sempre tem razão!

Um bom produtor precisa criticar  ideias de forma pacífica e sob um diálogo constante. Precisa sim dizer que o disco vai ficar uma porcaria se a banda insistir em manter aquela introdução de 2 minutos.

Criticar ideias ruins é zelar pela qualidade do trabalho. Ainda que você seja o cara das péssimas ideias, certamente vai gostar de saber que elas poderiam destruir seu disco, não é?

4 – Ele não tem a mínima ideia do que está fazendo

Existem produtores musicais para cada faixa de preço. Nem sempre você possui condições de pagar uma grana alta para contratar aquele top profissional, mas, nem por isso você deve arriscar seu suado dinheiro contratando um cara que cobra muito abaixo do que o mercado está acostumado a cobrar.

São essas pessoas que não fazem ideia do que estão fazendo na hora de produzir seu trabalho. Desconhecem a melhor forma de captar o audio, mixam porcamente e muitas vezes sequer tem o cuidado de masterizá-lo.

Certifique-se de que você está pagando alguém que possui credenciais para realizar um bom trabalho. Ouça seu portfolio, bandas que já trabalhou, artistas que já produziu… Note que aqui eu não falo sobre “trabalhos que venderam 100.000 cópias” mas, qualidade criativa e técnica.

Se você não consegue enxergar isso, pule fora. Não é hora de queimar sua grana.

Sobre o autor

Vinicius Soares

Vinicius Soares é músico profissional, consultor de Marketing Musical, palestrante e criador da Palco Digital, marca que dá nome a um site, uma empresa de consultoria e um curso online focado em estratégia digital que já impactou quase 1.000 músicos dentro e fora do Brasil.

Já palestrou em grandes eventos do mercado ao lado de marcas como Vevo, Napster, Catarse, CDBABY dentre outras. Foi vencedor do Prêmio Profissionais da Música, uma das principais premiações do mercado musical brasileiro e fez parte de um dos painéis oficiais do Social media Week, maior evento sobre mídias sociais da América Latina.

2 Comentários

Deixe seu comentário